Glaucoma: uma doença silenciosa e irreversível
Glaucoma: uma doença silenciosa e irreversível Fonte: Site Hospital Memorial São José
Data: 23/05/2012
Compartilhe  


Dr. Fábio Casanova faz alerta sobre o Glaucoma no site do Hospital Memorial São José

Em 23/05/2012

Neste sábado (26), comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, doença causada principalmente pela elevação da pressão intraocular, provocando lesões no nervo ótico. Uma das principais consequências é a perda parcial ou total da visão. Segundo estimativa da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, cerca de 1 milhão de pessoas sejam portadoras da doença no País, mas o número pode estar subestimado.

Há basicamente dois tipos de glaucoma: o primário e o secundário. O glaucoma primário está ligado, principalmente, a causas genéticas e ao envelhecimento. A incidência é mais comum em pessoas acima dos 50 anos e que tenham casos na família. Já o glaucoma secundário é provocado por causas externas, como traumas, uso contínuo de corticóide, uveite (inflamação intraocular) ou até mesmo pela catarata.

O grande problema do glaucoma é que ele não apresenta sintomas. “O glaucoma é uma doença muito traiçoeira, pois avança sem que o paciente perceba, pode durar até 30 anos para que ele note uma perda significativa da visão. E essa perda é irreversível”, alerta o oftalmologista Fábio Casanova, do Memorial Oftalmo, clínica especializada do Hospital Memorial São José.

A prevenção pode ser feita através de consultas regulares ao oftalmologista, pelo menos uma vez ao ano. O diagnóstico é fácil. Na visita anual ao oftalmologista, dois exames devem ser requisitados: a tonometria (medida da pressão intraocular) e o mapeamento de retina. Caso os exames apresentem alterações, são solicitados outros complementares, como campimetria computadorizada, retinografia ou foto de papila, gonioscopia e paquimetria. “A hipertensão intraocular alta não significa necessariamente, que o paciente tem glaucoma. Ele pode ser apenas um hipertenso ocular. Por isso, é preciso atenção aos exames”, acrescenta dr. Fábio Casanova.

O tratamento pode ser feito com colírios que ajudam a estacionar a doença ou com cirurgia. Para ajudar os pacientes a compreender melhor a doença e alertar para a sua gravidade, dr. Fábio Casanova disponibiliza gratuitamente na recepção do Memorial Oftalmo um folder explicativo.

 Veja Outras Notícias
Clipping Diario de Pernambuco

Diario de PernambucoEditoria Viver - João Alberto “O médico Fábio Casanova será um dos palestrantes da programação científica das comemorações ...

Leia mais
Dr. Fábio Casanova fala sobre os cuidados com os olhos

Os cuidados com os olhos no verão foram tema de entrevista em estúdio na CBN Recife, com o oftalmologista Fábio Casanova. O médico conversou com o apr...

Leia mais
Rua das Fronteiras, 175, 7º andar, Derby. Recife-PE, BRASIL CEP 50070-170 Telefone: 81 3366-2888. Como chegar
Desenvolvido por Visual Slim.